Duvidar não dá trabalho

João 20 :24 a 29
Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei. E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco. Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente. E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.

Após a ressurreição de Jesus, um discípulo foi convocado por Ele (Mt. 28:10) ”ide avisar a meus irmãos que se dirijam a Galileia e lá me verão”.

Nesta reunião todos testemunhariam de forma ocular, o mais sobrenatural e transformador evento da história: a ressurreição do Salvador de toda humanidade.

Somente sete discípulos compareceram a esta reunião e entre os que faltaram estava Tomé, também chamado dídimo (que quer dizer gêmeo).

Tomé, um dos 12, é conhecido pela maioria dos cristãos como o incrédulo da equipe, mas não há evidências de um comportamento permanente de incredulidade em Tomé, e sim de que era um homem bastante racional e que queria entender claramente tudo que se passava ao seu redor.

Vocês conhecem pessoas assim nos dias de hoje?

Tomé, escravizado por seu racionalismo, duvidou categoricamente da notícia da ressurreição, afirmando só acreditar se pudesse tocar nos ferimentos sofridos por Jesus na cruz.

O que determinou este comportamento incrédulo e desconfiado em um discípulo que ouviu, por várias vezes, dos lábios de Jesus que Ele ressuscitaria? Que esteve presente durante a ressurreição de Lázaro e participou com Jesus de tantos outros momentos sobrenaturais?

Tomé estava duro e indiferente a aquilo que estava acontecendo no mundo espiritual ao seu redor, uma tremenda profecia estava se cumprindo, mas Tomé não estava atento.

Por quê?

Muitas podem ser as respostas e estas possíveis respostas, vão nos ministrar muito hoje sobre o fato de sermos tão discípulos de Jesus quanto Tomé, devendo assim sermos presentes, atentos e crédulos.

Vamos analisar estes requisitos para um discípulo de Jesus:


1. Sermos presentes

Não podemos afirmar que Tomé tinha crises de incredulidade, por estar longe de várias reuniões, mas é um fato que nesta convocada por Jesus, tão importante e decisiva para o futuro, ele faltou.

Também é uma realidade espiritual, o fato de que muitos discípulos que não se apresentam para os cultos, para as células, para os discipulados, ficam frágeis em sua fé por falta da palavra e da comunhão que santifica.

A Bíblia diz que a fé vem pelo ouvir e o ouvir a pregação (Romanos 10:17).

Todo cristão que quer crescer na fé e por ela conquistar bênçãos e discípulos, não pode desprezar a palavra que é pregada nas reuniões da Igreja.

Não sabemos se Tomé tinha o hábito de não atender às convocações, mas o fato é que ele não atendeu a uma reunião que seria decisiva para sua própria vida.

Quando faltamos a um momento de comunhão como corpo de Cristo, que pode ser um culto, um discipulado ou a uma célula, podemos estar perdendo a reunião que determinaria a nossa cura, ou em que receberíamos o maior milagre de nossa vida, pois quando Jesus está presente tudo pode acontecer e Ele é sempre o primeiro a chegar para nos abençoar.

Sendo assim, quem deixa de estar, na verdade não faltou, mas foi roubado de muitas bênçãos.

Toda ausência revela desprezo ao ensino, enfraquece a fé e desvaloriza a comunhão com os irmãos.

Ninguém pode contar com um discípulo ausente. Nenhum discípulo ausente receberá muitas bênçãos, pois a bíblia diz: “Oh homem inconstante e de ânimo dobre (um dia vem, outro não, um dia quer outro não) não pense tal homem, que receberá do Senhor qualquer coisa” (Tg. 1:8).


2. Estarmos atentos

Há pessoas desatentas e desorganizadas, sua comunicação é falha, é difícil acessá-las e achá-las, pois em sua vida não há ordem e disciplina.

A palavra discípulo vem de disciplina e como discípulos de um modelo perfeito (Jesus), precisamos lutar contra nossa natureza humana e indisciplinada.

Precisamos ser organizados, atentos, diligentes, pois como discípulos de Jesus, somos modelo e temos muitas pessoas olhando para o nosso testemunho.

Há forças malignas de permissividade, que se alimentam e se aproveitam das falhas em nosso caráter, para assoprar em nossos ouvidos: “não tem problema se você não for ao culto neste domingo, está muito frio. Não tem problema se você atrasar só um pouquinho, todos atrasam. Não tem problema se você não fizer sua célula hoje, na próxima semana você faz.” Os pequenos detalhes (que não tem problema) geram um todo, que é um mundo cheio de problemas.

Na tradução bíblica isto corresponde a: ”As pequenas raposinhas é que destroem as grandes lavouras”.

Se você quer ser um grande homem de Deus, renuncie aos maus hábitos, pois eles determinam comportamentos, que por fim formam um caráter deformado, que não é o modelo de Jesus.

Por que será que Tomé faltou naquele momento de comunhão? ...


3. Sermos crédulos

Só seremos aquilo em que nós crermos e quisermos ser!

Temos promessas poderosas feitas pelo Senhor: de sermos muito prósperos, muito felizes, muito cheios da vida de Deus, muito importantes na vida de milhares de pessoas e famílias.

Mas a pergunta do Senhor para você neste dia é: Você crê mesmo que tudo isto é para você?

Se você de fato crê nestas promessas para a sua vida, o que você tem feito para que elas se cumpram?

Avalie o quanto você tem se esforçado para agradar a Deus, para ser um bom discípulo de Jesus, para anunciar as boas novas da salvação. A verdadeira fé está diretamente ligada a obras.

Viver pela fé é agir, realizar, viver pela fé é trabalhar por um futuro melhor, tanto seu como dos outros.

Duvidar, porém, não dá trabalho nenhum, quem duvida não precisa se esforçar, nem se comprometer, é só olhar com desconfiança e duvidar.

Alguns dizem crer, mas suas atitudes são de incredulidade velada. Tomé pelo menos era um incrédulo declarado e sincero, por isso Jesus pôde curá-lo.

Há pessoas que para serem curadas da incredulidade, precisam ver um milagre, tocar num milagre e, se o seu problema é este, Jesus não se importa com isso.

Hoje uma palavra profética está sendo liberada sobre você: Você verá milagres tão tremendos que o Senhor fará em sua vida, família, ministério e finanças que não restara um só pensamento de incredulidade em sua mente, pois assim como Tomé, você não foi chamado para ser incrédulo, mas crente, assim como Tomé, você foi chamado para ser um dos 12 de Jesus.


Que o Espírito Santo toque a todos com uma fé sobrenatural!

Amamos vocês,

Aps. Fábio e Claudia Abbud



43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo