Não olhe para trás

Atualizado: 23 de ago. de 2021

Gênesis 19:12-17


Então os homens disseram a Ló: — Você tem aqui mais alguém dos seus? Genro, filhos, filhas, todos quantos você tem na cidade, faça-os sair daqui, pois vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem aumentado, chegando até a presença do Senhor, e o Senhor nos enviou a destruí-lo.
Então Ló saiu e foi falar com os seus genros, os que estavam para casar com as suas filhas. Ele disse: — Levantem-se e saiam deste lugar, porque o Senhor vai destruir a cidade. Mas eles pensaram que Ló estava brincando. Ao amanhecer, os anjos apressaram Ló, dizendo: — Levante-se, pegue a sua mulher e as suas duas filhas, que aqui se encontram, e saia daqui, para que você não morra quando a cidade for castigada.
Como, porém, ele se demorasse, aqueles homens o pegaram pela mão, a ele, a sua mulher e as duas filhas, sendo-lhe o Senhor misericordioso, e o tiraram, e o puseram fora da cidade.
Havendo-os levado para fora, um deles disse: — Corra, para sair daqui com vida! Não olhe para trás, nem pare em toda a campina. Fuja para o monte, para que você não morra”

Vamos começar essa célula com uma pergunta: O quanto temos seguido o direcionamento e as orientações de Deus?

Imagine-se agora parado em uma longa estrada, onde existe o caminho de ida, o caminho de volta, e o lugar no qual você se encontra. Essa imagem, nos leva a refletir sobre as três diferentes direções que podemos percorrer na estrada da vida, sendo elas: o passado, o presente e o futuro.

Apesar destas três direções estarem inteiramente conectadas, há momentos na vida em que não conseguimos discernir exatamente em qual delas estamos. Pois, podemos estar em direção ao futuro com o nosso corpo, mas a nossa mente se encontrar no passado, fazendo com que o resultado seja uma vida estagnada, travada no meio dessa estrada. Podendo, por vezes, como em um labirinto, passarmos pelos mesmos caminhos sem encontrar a direção na qual deveríamos estar.

Diante desta realidade, Deus quer nos ensinar o segredo para conquistarmos aquilo que Ele nos mostrou e nos prometeu. O segredo?

Não olhe para trás!

Nesta passagem de Genesis 19, é possível compreender a orientação de Deus para Ló e seus familiares. Com misericórdia, Deus os alertou de que iria destruir a cidade, revelando que o clamor havia chegado até Ele, e esse seria o momento da libertação, para que eles pudessem ser salvos.

Podemos claramente relacionar a cidade com a nossa vida através deste texto. Muitas vezes, nossa vida pode já estar edificada, com seus costumes, pecados, conceitos, tradições, cultura, etc.

Sair desta cidade, pode não ser fácil, e nos desafia. Mas, Deus nos chama para retirar de nós aquilo que está nos destruindo e nos mostrar a nova direção a seguir para sermos libertos, e principalmente, recebermos o que temos clamado a Ele.

Quantas vezes Deus já nos pediu “Corra, para sair daí com vida! Não olhe para trás”?

E a mulher de Ló olhou para trás e virou uma estátua de sal” Gn. 19:26

Se não estivermos entregues de corpo, alma e espírito nesse processo, podemos falhar. Se não estivermos olhando sempre para frente, na direção que Deus nos deu, se estivermos com a nossa mente e emoções presas ao passado, perdermos o nosso foco, esquecemos das promessas de Deus para nós e o resultado poderá ser a estagnação total, como aconteceu com a mulher de Ló e a morte.

Alguns nesta caminhada não chegam a morrer, mas o tempo da promessa se estende demais! Exatamente como aconteceu com o povo de Israel no deserto, não por falha divina e sim por conta da dúvida, da murmuração, da ingratidão, do medo do povo.

"Toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e Arão no deserto. Os filhos de Israel disseram a Moisés e Arão: — Quem nos dera tivéssemos morrido pela mão do Senhor na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne e comíamos pão à vontade! Pois vocês nos trouxeram a este deserto a fim de matarem de fome toda esta multidão." (Êxodo 16:2-3).

Quando temos nosso pensamento focado no passado de sofrimento, perdemos o discernimento do futuro, que pode estar diante de nós.

O povo de Israel havia sido liberto da escravidão do Egito, e eram guiados por Deus, através de Moisés e Arão, para a terra prometida. Para a promessa de dias melhores. Assim como Ló, o povo sofria e clamava ao Senhor pela libertação.

E, mesmo vivendo maravilhas no deserto, e confirmações de que Deus estava com eles, muitos não foram libertos do passado, e caíram no comodismo, desejando viver novamente o sofrimento, como se as condições do passado fossem melhores do que aquelas que eles estavam vivendo. Alguns, desejaram a morte, como se essa fosse a vontade do Senhor.

A verdade é que, se as condições do passado fossem, de fato, o melhor de Deus para as nossas vidas, certamente Ele teria nos mantido lá.

Quando entregamos nossa vida e o nosso caminho a Deus, de verdade, sem reservas, sem apegos ao passado, dispostos a renunciar, Ele começa a nos guiar em direção a Sua vontade, boa, perfeita e agradável.

A verdadeira questão é: onde estamos hoje? Estamos no caminho certo, na hora certa, da maneira certa? Entregamos de verdade a nossa caminhada a Deus?

A passagem entre a saída da escravidão e a promessa de Deus requer um processo, é verdade, mas, as nossas atitudes podem determinar o quão longo será esse processo.

Nesta passagem do livro de Êxodo, a cegueira espiritual, a falta de discernimento e a resistência em aceitar o novo, levou o povo a murmurar contra os homens que foram levantados como seus líderes para os guiar. O resultado disso: um longo atraso para alcançar a promessa. O processo de 40 dias, levou 40 anos para ser concluído, e alguns nem chegaram!

Veja o que Jesus falou aos seus discípulos em Lucas 17:32-33: “Lembrem-se da mulher de Ló. Quem tentar preservar a sua vida a perderá; e quem a perder, esse a salvará."

Escolha perder a vida que você planejou, deixe de lado o passado e comece hoje a viver a vida que Deus preparou para você.

Decida hoje, entregar totalmente a sua vida nas mãos de Deus!


Deus nos abençoe poderosamente nesta caminhada,


Matheus Isidoro da S. Rodrigues (Geração Genesis).



PALAVRA DE PROSPERIDADE

Gênesis 2: 15-16 - E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar. E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: “de toda a árvore do jardim comerás livremente”.


Deus criou o homem com condições de ter todo suprimento necessário.

O jardim do Éden é o lugar que Deus gerou para todos os seus filhos. Hoje, este lugar - através de Jesus, não é mais físico e sim espiritual! Porém, para permanecer nele o princípio é o mesmo: obediência.

Entregar dízimos e ofertas, ou seja, obedecer a Palavra, gera produtividade para o solo da nossa vida financeira. Há uma promessa para a obediência: comer livremente, ou seja, abundantemente!



Igreja El Shaddai Comunidade Cristã

CNPJ 00.915.576/0001-89


Banco Itaú Ag. 0772 Cc. 47.381-5

Pix Itau: 11940093828


Banco Bradesco Ag. 2737 Cc. 32.593-7

Pix Bradesco: 00915576000189



19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo